Ribeirinhos realizam manifestação contra instalação da mineradora de ferro em Sento Sé

0
474
Foto: Divulgação/CPT

Na manhã desta quinta-feira (24), uma comissão formada por representantes dos povoados ribeirinhos de Aldeia, Pascoal e Limoeiro (APL), realizaram manifestação em frente a Câmara de Vereadores de Sento Sé, sendo recebidos em audiência pelos vereadores. No encontro, transmitido pelo canal da Câmara Municipal no YouTube, o representante da Comissão Pastoral da Terra (CPT) Celito Kestering ressaltou que a mineradora só está interessada na questão econômica, sem levar em consideração os aspectos climáticos, sociais, históricos, culturais e a diversidade da flora e da fauna.

Celito, que é arqueólogo e professor universitário, ressaltou que pesquisas comprovam que a ocupação humana na região começou a 16 mil anos. Ele ressaltou a existência das nascentes na formação serrana do Tombador, no extremo norte da Chapada Diamantina, da qual Sento Sé faz parte e a exuberância da fauna e da flora. Diante disso, defendeu a realização de audiências públicas com a participação do Ministério Público: “As empresas não se preocupam com a vida das pessoas. Elas consideram as pessoas como acidentes”.

Em seguida, foi a vez da líder comunitária Margarida se expressar: “Defendo a política da vida, bem como trago indignação e questionamentos. Como um projeto chega, é licenciado e os representantes do povo não reagem, não esclarecem. A mineradora chega como um rolo compressor, passando por cima da lei, das pessoas e ninguém diz nada” – protestou.

Margarida acrescentou que os ribeirinhos fazem parte de comunidades tradicionais, voltadas para a agroecologia, e que merecem respeito. Citou que os moradores foram desrespeitados pela Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf), pelas eólicas e, agora, pela mineradora. Ela exigiu a realização de audiência públicas.

Na última parte da audiência, os vereadores se manifestaram. O mais enfático contra o empreendimento foi Jamerson Santos Santiago (PSDB), originariamente pescador e morador em uma comunidade do entorno da Serra da Bicuda. Os demais ficaram em cima do muro, dizendo que todas as partes devem ser ouvidas antes da tomada de qualquer decisão. Um deles, o tucano Edio José dos Santos, o Bozó do Piçarrão, passou a maior parte dos 20 minutos a que tinha direito, falando de sua atuação em trabalhos sociais, incluindo a distribuição de mil cachorros-quentes em uma festa.

Em nota, a Colomi Iron informou que a licença para implantação foi autorizada pelo Instituto do Meio Ambiente e disse que o sociólogo da mineradora estará nas comunidades, nos dias 06 a 10 de outubro, para sanar todas as dúvidas dos moradores.

Veja a nota na íntegra: 

Em nota, a Colomi Iron Mineração esclarece que acompanha os questionamentos da população dos povoados de Aldeia, Pascoal e Limoeiro, interior do município de Sento Sé. Ressalta, que as dúvidas dos cidadãos merecem esclarecimentos. Ainda, destaca que a empresa vem respeitando todas as leis e normas ambientais e Recursos Hídricos (Inema) e publicada no Diário Oficial da Bahia, no dia 05 de agosto de 2020.

Também, a Colomi comunica que o sociólogo da mineradora estará nas comunidades, nos dias 06 a 10 de outubro, para sanar todas as dúvidas dos moradores. Ademais, informamos que o projeto está localizado a 5 km dos povoados do município. Além disso, a Colomi Iron está formando uma equipe com pessoas do município, para a Comissão de Acompanhamento de Empreendimento (CAE) para acompanhar das atividades da empresa.

A Colomi Iron é uma empresa com um grande potencial. E Sento Sé precisa de empreendimentos como o da mineração, para gerar mais emprego, renda e consequentemente, desenvolvimento para o município.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui